Árabes e judeus protestam juntos

30jan10

Como contei ontem, estive em Sheikh Jerakh, bairro árabe na parte oriental de Jerusalém. Fui cobrir, para o Terra Brasil, uma manifestação – que virou um evento semanal da esquerda israelense e de residentes árabes – contra a decisão da Justiça de desalojar famílias e permitir que colonos ultraortodoxos, com documentos anteriores a 1948, ocupem as casas.

Cheguei de ônibus com um grupo de manifestantes que saiu de Tel Aviv. No caminho, estavam preocupados com a possibilidade de a polícia voltar a prender gente, como ocorreu em protestos anteriores. No ônibus, fretado por um grupo do Paz Agora, os organizadores davam instruções aos participantes, e pediam que eles seguissem as regras. E passavam um chapéu para recolher doações em dinheiro!

Sentado na primeira fileira do ônibus, um homem lá pelos seus 60 anos empunhava uma matéria de jornal impressa em letras garrafais com o título: Corte de Jerusalém declara manifestações em Sheikh Jerakh legais. Até a véspera do protesto de ontem, eles eram considerados ilegais. Isso mudou na última hora e evitou as prisões. O resultado foi uma manifestação pacífica, com café turco distribuído pelos moradores, oliveiras (símbolo da paz) plantadas no local e sem incidentes violentos.

Como eu, outros muitos jornalistas estavam cobrindo a manifestação. Jornalistas israelenses, árabes (havia até uma fotógrafa coberta com hijab) e estrangeiros: espanhois, canadenses, coreanos, franceses, americanos… Equipes de TV, muitas câmeras, agências de notícias… Como me disse um policial, com ironia, “há mais jornalistas que manifestantes”. Não foi bem assim, mas certamente a presença da imprensa ajudou o protesto a seguir em frente.

O conflito neste Oriente Médio é bem menos simples do que parece, e a manifestação de ontem, que reclama sobre uma porção ínfima dos problemas enfrentados por árabes-israelenses, mostra isso. Qualquer tentativa de defini-lo com simplicismos ou de defender algum dos lados envolvidos vai ser estúpida.

Em hebraico, manifestação é הפגנה (hafganá).



2 Responses to “Árabes e judeus protestam juntos”

  1. 1 Celso Zilbovicius

    Oi Gaby!
    É isso ai…não é simples e muito menos fácil como este senhor acha!Por que não expulsamos todos os palestinos e pronto…mostramos a superioridade israelense e judaica e pronto…esta resolvida a questão….
    Kol HAkavod Gaby…continue frequentando ( inclusive por mim) estas manifestações…como conversamos há poucos dias…esta história não é simples….cada lado tem sua razão, tem seus fantasmas e suas paranóias e seus fundamentalistas…
    As pessoas que foram a Sheikh Jerakh fazem parte do Oriente médio que quer viver algo diferente…construir algo e Não destruir por que um juizinho de m…disse que há mais de 60 anos a casa era de fulano….já pensou se muitos outros fossem fazer a mesma coisa em Yaffo, Lod, Ramle e tantos outros lugares?Será que assim que se constrói ???

  2. 2 abram d sztutmanm

    ??????????de defender um dos lados?????????????mas ha documentacao habil,comprovado no supremo tribunal ,conhecido como juizes de esquerda……..que prova a propriedade dee antas de 1948…..O que mais querem?????
    O que o paz agora quer???????definitivamente fazer documentos de propriedade ,comprovados sua autenticidade nao twer valor?????sera que as casas do opaqz agora tambem seria assim encarado?????
    abram


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: