Campanha da vez

30abr10
Trata-se de mais uma entre tantas e tantas tentativas do governo israelense de reduzir acidentes de trânsito no país. No caso, uma ONG chamada Or Yarok, Luz Verde, criada depois que o filho do fundador morreu em um acidente, com menos de 20 anos (leia mais a respeito aqui).
Você sabia, aliás, que o número de mortos em acidentes em Israel supera o de mortos por conta dos conflitos, mesmo em épocas pesadas, como durante a segunda intifada (2000-2003)? Os dados são tão expressivos que semanalmente as rádios dão as estatísticas de mortos e feridos nas estradas.
Há diversas teorias sobre o motivo de os israelenses provocarem tantos acidentes fatais em ruas e estradas tão boas, relativamente bem sinalizadas e com carros em geral novos, e uma lei mais ou menos rigorosa que exige um teste anual.
Uma das teorias é resultado do que eu chamo de “fenômeno panela de pressão” – e a lógica é verdadeira porque o número aumenta quando os conflitos com os palestinos estão mais violentos, como durante a última intifada.
Seja qual for a razão, fato é que os israelenses dirigem muito mal, fazem barbeiragens de deixar brasileiros boquiabertos, não fazem a menor ideia da importância de sinalizar, estacionam como se não houvesse amanhã e tratam os carros apenas como meio de transporte (obviamente, não entendem a paixão nossa pelos carros!)
E essa da foto é mais uma campanha que, duvido muito, vai dar resultado em Israel.
Arrisco até o palpite de que é capaz que os motoristas acabem se distraindo ao passar pela “escultura”, provocando acidentes, em vez de ler a placa ou entender que o próximo carro estraçalhado pode ser o dele…
Vale dizer que a frase do cartaz tem duplo sentido em hebraico na versão oral. “Im shotim lo noaguim” quer dizer “se beber não dirija” e “com tolos não se viaja”. “Im” serve como “se” (if) e como “com” (with). “Shotim” com tav (שותים) é “beber”, com tet (שוטים) é “tolos”.
E a frase completa da campanha é “Im shotim lo noaguim, bishvil ze iesh chaverim” (“para isso há amigos”, que também funciona no duplo sentido – amigos que dirigem sóbrios, o famoso “amigo da vez” do Brasil, e amigo para não ser tolo e dirigir alcoolizado). Sacou?!


4 Responses to “Campanha da vez”

  1. 1 Fernanda Fig

    Se a escultura é de gosto duvidoso, os slogans estão legais, também gostei da ambiguidade! E meu hebraico está enferrujadíssimo…

    Não sabia que os israelenses dirigiam tão mal assim…Os taxistas que são megafolgadões, né?

    • Fe, taxista e’ folgadao em qualquer lugar, ne? Nao e’ so aqui que vejo taxista parar de repente, sem dar seta, sem dar espaco pro transito continuar a fluir!

      • 3 Fernanda Fig

        Gab, você tem toda a razão: taxista é folgado em qq lugar! É chover no molhado falar isso. Sababa?

        Bjo

  2. 4 Fran

    Interessante. A campanha e a ambiguidade em hebraico =)


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: